xxxxxxx

xxxxxxx

A Rega - literaturas, artes e afins

  João Cabral de Melo Neto 


CATAR FEIJÃO



Catar feijão se limita com escrever:
joga-se os grãos na água do alguidar
e as palavras na da folha de papel;
e depois, joga-se fora o que boiar.
Certo, toda palavra boiará no papel,
água congelada, por chumbo seu verbo:
pois para catar esse feijão, soprar nele,
e jogar fora o leve e oco, palha e eco.

2.

Ora, nesse catar feijão entra um risco:
o de que entre os grãos pesados entre
um grão qualquer, pedra ou indigesto,
um grão imastigável, de quebrar dente.
Certo não, quando ao catar palavras:
a pedra dá à frase seu grão mais vivo:
obstrui a leitura fluviante, flutual,
açula a atenção, isca-a com o risco.



O SERTANEJO FALANDO 


A fala a nível do sertanejo engana:
as palavras dele vêm, como rebuçadas
(palavras confeito, pílula), na glace
de uma entonação lisa, de adocicada.
Enquanto que sob ela, dura e endurece
o caroço de pedra, a amêndoa pétrea,
dessa árvore pedrenta (o sertanejo)
incapaz de não se expressar em pedra.

2.

Daí porque o sertanejo fala pouco:
as palavras de pedra ulceram a boca
e no idioma pedra se fala doloroso;
o natural desse idioma fala à força.
Daí também porque ele fala devagar:
tem de pegar as palavras com cuidado,
confeitá-las na língua, rebuçá-las;
pois toma tempo todo esse trabalho.

João Cabral de Melo Neto





Amanda  Charchian

Da série Ginger Entanglement
Amanda Charchian é uma jovem fotógrafa, escultora, pintora e musicista. Descendente direta de iranianos, reside e trabalha atualmente em Los Angeles. A intuição, o transcendental e a ludicidade são palavras-chave do seu trabalho, sobretudo sua fotografia, com a qual busca criar um universo próprio e surreal onde o corpo feminino e sua expressão ocupam um lugar privilegiado. Utiliza exclusivamente o filme fotográfico, que considera essencial para o resultado de seu trabalho, que explora distorções e sobreposição de imagens como meio para retratar um mundo irreal de formas abstratas e imagens surreais cujos efeitos, por vezes, aproximam-se do pictórico. As relações entre os corpos e destes com a paisagem também são constante matéria de pesquisa em sua fotografia, bem como a captura de cenas intensas e rigorosamente construídas em séries tão instigantes quanto seus títulos: Emaranhamento Ruivo, Fantasma de uma Garota de Chelsea, Portais Portáteis, Florescer Pugilista, Quando Não Há Mais Nada para Queimar Você Deve Colocar Fogo em Si Mesmo, Eu Imagino que o Sim é a Única Coisa Viva, Um Vasto Teatro de Conjurações e A Mestra das Magias Segura o Seu Coração Enquanto Você Dorme são alguns dos nomes que a artista escolheu para resumir o teor alucinógeno de suas fotografias.



Da série 

Wringing Sun


Da série 

Wringing Sun


Da série Sworn In Swarkestone

Da série  Sworn In Swarkestone



Da série Ghost of a Chelsea Girl 



Da série Nobody quite knows what to make of the moon anymore. 

Da série Ghost of a Chelsea Girl 

Da série Nobody quite knows what to make of the moon anymore. 






Da série ENTELECHY

Da série  ENTELECHY

Da série  ENTELECHY

Da série 

Sworn In Swarkestone


Da série 

India in Woodstock

Bourgeois Hysteria - Escultura 

 Da série Ghost Prance
Pode-se conhecer mais trabalhos de Amanda em seu site oficial: www.amandacharchian.com

2 comentários:

  1. Maravilhosos, tênues, sofisticados, porém a figura feminina se apresenta triste e amordaçada.

    ResponderExcluir
  2. Parecem pinturas... a primeira é fantástica!

    ResponderExcluir