xxxxxxx

xxxxxxx

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Acalanto

Aëla Labbé - Childhood in the Woods



Dentro desta insônia um passarinho de asa quebrada, arfando, desfalecendo em mim: o ar entra e sai, o peitozinho frágil sobe e desce rapidamente. Queria ao menos por sobre ele minha palma quente, mas isso afastaria o sono de vez: finjo que não sei, me debato, procuro me enterrar madrugada adentro, ardendo em sono. O som do seu desespero me embala: o ar que entra e sai, entra e sai, entra e sai, o peito que sobe e desce, sobe e desce, inquieto mas constante como a noite que eu quero ter. Subitamente o silêncio: dentro desta insônia um passarinho morto, eu o amo, eu o amo tanto – não amava assim enquanto vivia. Que fazer agora com seu corpinho morno? Estou sofrendo. Que fazer com esse corpinho ainda morno, dentro da noite?

Nenhum comentário:

Postar um comentário